sexta-feira, 29 de junho de 2012

O registro na educação infantil




Hoje iremos conversar sobre a observação e o registro, como ferramentas que auxiliam o cotidiano escolar, da criança na fase de educação infantil, de forma que o professor possa registrar diversas atividades como por exemplo: fotos, desenhos, álbuns, gravações, vídeos e as produções que os alunos fazem ao longo de todo um percurso.

Para documentar o desenvolvimento da criança, não existe um registro único (padrão), no entanto, os registros realizados no dia a dia pelo professor, podem se transformar em um exímio relatório pedagógico, apenas sendo criteriosa em sua argumentação. Assim como o relatório tem sua importância, destaco também a participação familiar e escolar, colaborando para uma aprendizagem de qualidade.

Com essas observações em mãos, a orientação familiar torna-se mais fácil e garante que a conversa flua. Alguns pontos podem se descritos nesse relatório, como argumentação e contextualização do diálogo, entre família, escola e aluno de educação infantil. São eles:

- O relatório deve apresentar uma linguagem apropriada ao seu público. A formalidade ainda existe, porém não pode ser excessiva, de forma a dificultar a compreensão da mensagem.

- Todo relatório segue o mesmo critério, que é ter: começo, meio e fim. Os assuntos devem ser integrados, coesos, para não distorcer a mensagem.

-Muita atenção à ortografia e acentuação. Não existe nada pior que encontrar erros em um trabalho, de forma que estes desqualifiquem o mesmo.

- Escreva sempre o relatório baseado nas potencialidades e habilidades dos alunos, ou seja, utilizando e valorizando os pontos positivos.

- Evite termos coloquiais, por exemplo: né, tá, e outros. A comunicação deve ser clara, direta e sem dúvidas.

- Evite também o uso de adjetivos, como: “ A criança estava feliz”, tente descrever o estado do aluno em determinada situação, por exemplo: o aluno mostrou-se sorridente”.

- Termos como: nunca, bastante, sempre, jamais, é desaconselhável de uso.

-As abreviações em um relatório devem ser mínimas, principalmente em um relatório pedagógico.

-Atente a pessoa utilizada (e o verbo) e siga por todo o texto. Atenção para evitar as discordâncias no decorrer do mesmo.

- Evite expressões como: “ O educando é...”, Prefira verbos como: “ mostrou-se, apresentou-se, demonstrou...” É importante, que observe que “frases afirmativas” podem gerar situações inadequadas.

-Busque coesão e coerência no texto. Leia e releia mais de uma vez. Peça, a um colega para ler e ver se você foi clara em sua linguagem e comunicação.

-Monte um caderno de linguagem, ou seja, com termos , frases e palavras interessantes que observou durante as leituras. Eles irão te ajudar a iniciar o relatório com mais segurança.

- Se for possível, leia o seu relatório, um dia após de ter sido elaborado, pois nesse momento, você o lerá com outros “olhos”.



Lembre-se que estar atualizada e bem informada, é uma boa estratégia de estudo e esta ação irá garantir maior qualidade em seus relatórios.

O ato de registrar no ensino fundamental, possibilita ao professor ser autor de sua história, perpetuando suas ideias e reflexões em busca de um ensino- aprendizagem de qualidade.



Natalícia




Fonte:http://revistaescola.abril.com.br/planejamento-e-avaliacao/planejamento/escrita-profissional-427279.shtml





Um comentário:

Ivana Maria disse...

Oi, minha amiga. Achei bastante apropriadas todas as considerações que você apresentou na orientação do acompanhamento e do registro das criança. Acredito que uma coisa que deve ficar bem clara para o professor é que o Registro, longe de ser uma simples formalidade que deve ser escrita com o objetivo de prestar conta ao Coordenador, deve ser escrito com o intuito de servir para o próprio professor. Nele devemos garantir as pistas para a qualidade do trabalho que desenvolveremos com o nosso aluno a fim de que ele continue avançando na construção do conhecimento.